8 de dezembro de 2010

FALTAM PASSARINHOS, SOBRAM PERNILONGOS

Hoje, uma postagem diferente servindo de alerta pra quando a gente plantar uma árvore na frente de casa ou criar um jardim no quintal.

Quem mora no interior de São Paulo está convivendo com milhões de pernilongos. Seca? Efeito estufa? Lixo? Falta de passarinho?

Ops! Falta de passarinho? Isto mesmo! Um passarinho come até 150 pernilongos/dia.Com a falta deles, os pernilongos fazem a festa em nossas casas.

Faltam passarinhos por causa de desmatamento? Um pouco.

Faltam passarinhos por causa dos venenos que colocam nas plantações? Isto também contribui.

Estes venenos agrícolas são verdadeiras armadilhas para eles, que comem e depois morrem envenenados.

Faltam passarinhos porque a casa de cada um de nós está cada vez mais anti-ecológica? Sim, com certeza!

São 4 mudanças fundamentais no quesito "jardim":

1) Cada vez mais as casas estão impermeabilizadas. Ou seja, progressivamente os lugares onde existiam plantas (grama, jardim, árvores, etc.) estão sendo cimentados. Isto diminui, obviamente, os espaços onde os passarinhos e outros animais podem encontrar abrigo, alimento, etc.


2) As grandes árvores em frente das casas fazem sombra, refrescam a casa, mas geram folhas (sujeira segundo algumas donas de casa) e diminuem a iluminação dos postes de luz. Ruas com muitas árvores grandes são mais escuras. Por causa do medo de assalto, as árvores, principalmente as grandes, estão sendo cortadas ou não substituídas quando morrem: ganha-se em luz e menos "sujeira". Hoje são comuns casas sem árvores na frente.


Difícil encontrar árvore de grande porte plantada recentemente.

Quando plantam, são árvores de pequeno porte e praticamente nunca árvore frutífera.

3) Existem poucas áreas públicas e estas estão com pouca ou sem árvores e arbustos nativos.

Os passarinhos de sua região estão adaptados a comer frutos de árvores nativas. Por isto é importante que estas árvores (arbustos, etc.) tenham preferência na hora de serem compradas e plantadas.

Quando foi a última vez que você comeu bacaúva?

Talvez você nem conheça esta fruta, tão consumida há 60 anos atrás.

Descubra quais são as plantas nativas de sua cidade, faça um belo de um jardim. Descubra a alegria de alimentar outros seres vivos.


4) A estética preferida nos jardins atualmente geram um deserto verde: coqueirinhos, coqueirinhos, mais coqueirinhos. Para quebrar um pouco a monocultura de coqueiros, se coloca outras plantas que não produzem frutos, nem flores e nem dão abrigo aos animais. Ou seja, um deserto verde.

Tudo isto diminui a quantidade de alimentos e abrigo para os passarinhos. Diminui a quantidade deles que se alimentam de pernilonogos, que vão na sua casa te picar, que te fazem acordar a noite.

Para contornar tal incômodo você coloca veneno nos quartos para você e sua família se intoxicarem.

Está na hora de cada um assumir a responsabilidade e transformar sua própria casa em uma área onde a ecologia é respeitada.

Por Regis Mesquita


"Toda planta ou toda gente
que pro alto se levanta,
que pra todo lado encanta,
não dá costa, não dá frente,
é árvore."

Maria Gouvêa Ferreira

2 de dezembro de 2010

COTIDIANO I

Hoje nossas funcionárias, Elaine e Viviane, acordaram atacadas com o bichinho da faxina.
Lavaram tudo o que tinham de direito, desde o teto até o chão.
Resolvi tirar uma foto delas mas nem imaginava a dura missão que tinha pela frente. Foram necessários doze clics pra finalmente chegar naquela foto que elas, ainda assim, acharam "meia-boca"!
Selecionei alguns momentos...

Também resolvi colocar minha criaitivade pra trabalhar e fui decorar o self service.

Hoje também foi dia de atualizar o estoque de alguns doces que utilizamos na fabricação dos nossos sorvetes. Fizemos doce de banana e olha ele aí no fogo, quase no ponto.  Nosso estoque de doces na geladeira: banana, abacaxi, coco queimado, ameixa entre outros.


Enquanto o doce cozinhava a pasteurizadora trabalhava a todo vapor.

E assim foi mais uma manhã aqui na Branca, com direito a flagrar um momento muito lindo da natureza dentro do freezer que íamos descongelar. Que dó. Mas antes fotografamos os cristais de gelo.


Abraços a todos.

1 de dezembro de 2010

XÔ GORDURA...

Atualmente a mídia vem apresentando muitas reportagens abordando saúde, alimentação, atividade física, e também muito se tem falado a respeito das gorduras e dos carboidratos nos alimentos. As pessoas estão buscando alternativas saudáveis sem abrir mão do prazer.


A gordura no sorvete tem seu papel nobre que é conferir cremosidade e maior palatabilidade, porém com todas as restrições que já se sabe a respeito dela.

As gorduras trans estão quase abolidas da indústria de alimentos e aqui na Branca não a usamos já faz muito tempo.

As gorduras  trans foram substituídas por outras gorduras e basta você olhar nos rótulos dos alimentos que vai notar a presença de gordura de palma ou de coco, ambas saturadas e, portanto, não tão saudáveis.

Recentemente a indústria alimentícia lançou um produto para substituir as gorduras com o objetivo de oferecer alimentos mais saudáveis à população.

E a Branca, mais uma vez inovando, já está utilizando esse produto, agregando assim um inestimável valor ao seu sorvete que é o benefício à saúde do consumidor.

MAS, AFINAL, DO QUE SE TRATA?

Este produto, conhecido como Z-Trim, é produzido pela Z Trim Holdings (EUA) e no Brasil, a Kienast & Kratschmer - Kraki é a única empresa que tem a licença para distribuí-lo.

O Z Trim é um produto composto por 90% de fibras insolúveis, 100% natural, feito à base de cereais com zero caloria, constituindo um alimento totalmente seguro.

Possui certificação GRAS e Kosher, aprovação do FDA e, aqui no Brasil, o produto foi aprovado pela ANVISA como ingrediente, sendo declarado na rotulagem dos alimentos como fibra alimentar.

Esse ingrediente foi desenvolvido para proporcionar às pessoas alimentos saborosos, saudáveis e nutritivos com reduzidos teores de gorduras.
Portanto, ao tomar nosso sorvete você estará consumindo um produto sem adição de gorduras, rico em fibras e menos calórico.
Que bom, não?
Venha provar!

Abraços

Adriene